Pesquisar Este Blog

terça-feira, 17 de maio de 2016



               Masturbação

Eu masturbo meu sexo com leveza
Deslizando as carícias sobre a flor;
Na procura da verve sem pudor
Pra sentir o prazer com grandeza.

Eriçado, meu sexo, com destreza,
Anuncia um soneto sem ter dor,
Todo corpo explode num tremor
Quando os dedos deslizam sutileza.

Passo as mãos nos lugares mais vibrantes;
Do latente, mil versos fulgurantes,
Estremecem meu corpo de emoção.

De repente do sexo do meu peito
Um delírio sem medo e preconceito
Faz o verso escorrer do coração.

                                        Gilmar Leite

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário